Professor invade Secretaria de Educação do DF com faca e besta

Anúncio
Clique na imagem. Link direto para Whatsapp

O homem de 53 anos tem histórico de distúrbio psiquiátrico e foi levado à 5ª DP, depois de entrar em andar onde trabalha o secretário.

Um professor de violino da Escola de Música de Brasília (EMB) invadiu a sede da Secretaria de Educação, no Setor Bancário Norte, nesta sexta-feira (15/3). Ele estava armado com uma faca e uma besta (espécie de arco e flecha), mesmo equipamento utilizado pelos atiradores do massacre da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP). Além disso, ele tinha cinco setas dentro da mochila.

O homem subiu até o 12º andar do prédio, localizado no Bloco C da Quadra 2, no Setor Bancário Norte. No pavimento, funciona o gabinete do secretário de Educação, Rafael Parente. O chefe da pasta não estava no momento, pois tinha ido ao Palácio do Buriti para se reunir com o vice-governador do DF, Paco Britto.

Funcionários que trabalham na Sede 1 perceberam o cabo da besta para fora da mochila e acionaram a Polícia Militar. Segundo fontes da Secretaria de Educação, o homem tem histórico de distúrbio psiquiátrico, estava em licença médica e em tratamento.

O professor, de 53 anos, foi rendido por dois policiais militares e levado para a 5ª DP (área central). Ele ofereceu resistência durante a ação. De acordo com a pasta, o homem não utilizou a besta e ninguém ficou ferido.

Assim que soube do ocorrido, o secretário informou que o vice-governador já pediu o afastamento e abertura de procedimento administrativo contra o professor.

O titular da pasta, por meio de sua conta no Twitter, revelou ainda que foram registrados “alguns casos de ameaças de alunos” e assegurou que o serviço de inteligência da Secretaria de Segurança Pública está em ação “dentro de algumas escolas e à paisana.”

Parente disse que está tentando entender o que ocorreu. “Aparentemente, é um caso de saúde do servidor. Precisamos encarar que a nossa sociedade está doente e que essa crise de valores só será resolvida com a união entre escolas, famílias e comunidade”, disse.

Pelo Twitter, o secretário dispensou os servidores da pasta que não sentirem bem emocionalmente e disse que vai anunciar medidas para reforçar a segurança do prédio na segunda-feira (18).

De acordo com o secretário adjunto da Educação, Mauro Oliveira, o professor entrou normalmente no Edifício Phenícia nesta sexta (15) e estava usando etiqueta de visitante. Não há detector de metais no prédio e as pessoas não são revistadas. Catracas estão instaladas na entrada.

“Ele já entrou lá outras vezes. Era funcionário conhecido da Casa. Por sorte, o chefe de administração viu a mochila um pouco aberta e notou um cabo de arma dentro. Foi quando acionou a polícia, que pôde evitar o pior”, destacou o adjunto da pasta de Educação, na 5ª DP.

Responsável pela ocorrência, sargento Ado disse que a PM foi acionada por volta das 12h30 pelo chefe de administração do prédio, que desconfiou do comportamento agitado do homem. “Estávamos justamente no endereço e, em minutos, subimos no edifício onde foi feito o flagrante”, contou.

De acordo com o militar, o professor dizia que “a Escola de Música [de Brasília] estava acabada e queria mostrar ao secretário o que tinha na mochila”. Duas viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estão na 5ª Delegacia de Polícia para acompanhar a ocorrência. Uma psicóloga e dois enfermeiros entraram na unidade policial localizada na área central de Brasília para prestar atendimento ao docente.