Professora cria projeto para ensinar alunos com deficiência intelectual

No interior do Ceará, a professora Noadias Castro Braz de Novaes pedala levando os materiais escolares para ensinar seus alunos na porta de suas casas.

Foto: Mariana Lima – Pedalando debaixo do sol com materiais escolares, máscaras, luvas e álcool em gel, a professora Noadias Castro Braz de Novaes, de 28 anos, percorre ruelas de areia em meio a cactos e arbustos no sertão de Itapipoca, município do Ceará.

A longa jornada, que começa às 7h da manhã, tem como destino as portas das casas de estudantes entre 7 e 14 anos com algum tipo de deficiência intelectual.

Ainda em março de 2020, quando as escolas do estado foram fechadas para o ensino presencial devido à pandemia da Covid-19, as preocupações quanto ao acesso ao ensino de seus alunos começaram.

Professora da escola municipal Alonso Pinto de Castro, localizada no distrito rural Betânia de Cruxati, ela encontrou um caminho ao criar, por conta própria, o projeto Atendimento Educacional Especializado na Pandemia.

Com o projeto, Noadias passou a dar aulas em frente às casas das famílias de seus alunos. O projeto começou com 10 alunos matriculados e hoje atende 32 crianças, entre irmãos de alunos e até vizinhos, com ou sem deficiência.

A maior parte dos alunos reside em regiões distantes e não tem acesso à internet em casa. Os estudantes são filhos de pequenos agricultores e fazem parte de famílias numerosas com até 7 irmãos.

Alguns pais só sabem escrever o próprio nome, e também participam das aulas enquanto os filhos aprendem no portão de casa. Incluir os pais nas atividades é uma das propostas de ensino de Noadias para incentivar o estudo dentro de casa.

Faça chuva ou sol, a professora ensina as crianças na calçada em aulas que incluem jogos e atividades para desenvolver a parte cognitiva e motora dos estudantes.

Quem é essas professora?

Noadias encara a educação como uma missão. Filha de uma professora aposentada, considera-se uma educadora desde os 13 anos — época em que ajudava a mãe na sala de aula.

Gosta tanto de estudar que acumula títulos. É formada em Química, Biologia e Pedagogia, mas sabe que a educação para alunos com deficiência é a sua vocação.

Fonte: ECOA | UOL

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT