Programação das Fábricas de Cultura celebra mês da Consciência Negra

Atividades são conduzidas pela temática que atravessa o mês de novembro no país e promove reflexão sobre o tema.

Durante o mês de novembro, as Fábricas de Cultura, equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciadas pela Poieis, apresentam uma extensa programação dedicada ao mês da Consciência Negra. As atividades são gratuitas e on-line e acontecem pelas plataformas das Fábricas de Cultura no Facebook, YouTube e Instagram sem necessidade de inscrição.

Na atividade Memória e História: Uma conversa sobre Tula Pilar, será celebrada a trajetória de Tula Pilar. A escritora mineira, chegou à São Paulo motivada por trabalho e em sua trajetória imprime o “ser Carolina” deste país. Tula é autora de livros “Palavras Inacadêmicas”, produzido de forma independente em 2004, e “Sensualidade de fino trato”, publicado pelo selo do Sarau do Binho em 2017. A conversa acontecerá no dia 18 de novembro, quarta-feira, às 15h no YouTube.

Em História Cantada: Olêlê – Uma cantiga da África, por meio de brincadeiras musicais e histórias cantadas do universo infantil, será apresentada a canção Olelê. A história encoraja as crianças a encarar os desafios da vida e a entender e respeitar os fluxos da natureza e os que vieram antes de nós. A exibição da atividade acontecerá no dia 19 de novembro, quinta-feira às 15h, pelo YouTube. No mesmo dia, será apresentado às 19h pelo Facebook o livro O Nômade por meio de um vídeo realizado por Gaspar, autor da obra e integrante do grupo Z’África Brasil.

clique na imagem e saiba mais

Casa verde, território negro tem como objetivo apresentar o livro “Casa Verde, uma pequena África paulistana” de Tadeu Kaçula, que narra as manifestações culturais do bairro da Casa Verde e a forte influência das manifestações de matriz africana para a construção deste território, evidenciando a importância de reafirmar territórios negros na cidade de São Paulo. A atividade estará disponível no YouTube no dia 20 de novembro, sexta-feira, às 11h. Às 15h, o Quiz da Memória apresentará célebres personalidades negras brasileiras em um jogo para exercitar a memória sobre o protagonismo negro.

Na Oficina Comicidade Negra, a Cia Trupe Liuds introduzirá os participantes no universo da palhaçaria. Serão apresentados aspectos da dramaturgia, musicalidade, história e construção corporal do palhaço, sob um olhar de quebra de estereótipos da população negra, estimulando a crítica pelo riso (comicidade). Pelo YouTube, a atividade será disponibilizada às 15h do dia 20 de novembro, sexta-feira.

O desfile virtual Africanidade: África através dos panos, abordará o pertencimento do corpo negro no cenário da moda, por meio da ancestralidade, identidade, memórias coletivas, cultura, com o intuito de fazer da moda a mola propulsora como ferramenta do processo Corpo Manifesto. No desfile, serão apresentadas as marcas independentes Makida e Femi. O desfile será exibido no Facebook no dia 20 de novembro, sexta-feira, às 17h.

Em seguida, às 18h pelo YouTube, o grupo musical paulistano Senzala Hi-tech fará um pocket show em um repertório que une o o hip-hop à influências musicais do funk/soul, samba, reggae, dub e sons da África às Américas. A identidade visual do grupo é inspirada em referências do Afrofuturismo, movimento estético-artístico que valoriza a ancestralidade africana na formação das culturas afro diaspóricas e suas conexões com o futuro através da arte.

Os artistas que constroem o CITA – Canto de Integração de Todas as Artes, se unem em uma vídeo performance para refletir sobre a consciência negra a partir do olhar para a ancestralidade e o fazer artístico do território. Esse trabalho busca observar sobre como as raízes profundas que temos, literais ou não, seguem fortificando nossas trajetórias. O trabalho será apresentado no Facebook dia 21 de novembro, sábado, às 19h.

O Cine Raiz Forte exibirá três episódios da websérie Raiz Forte acompanhados da fala da diretora Charlene Bicalho. O projeto propõe sensibilizar o público a respeito da temática étnico-racial, contribuindo com o combate ao racismo cotidiano, e promover reflexões sobre o respeito às diferenças, visando a construção de processos de educação antirracista. Os episódios serão transmitidos pelo IGTV, no Instagram das Fábricas de Cultura, às segundas-feiras, 23 e 30 de novembro e 7 de dezembro, às 18h.

Em Representatividade Negra na Palhaçaria, o objetivo é apresentar palhaças e palhaços negros e suas representatividades. Com a proposta de compartilhar informações sobre projetos e pesquisas negras dentro da comicidade brasileira, o encontro virtual trará conhecimentos importantes para a pesquisa artística dentro da Palhaçaria. O encontro acontecerá na segunda-feira, dia 23 de novembro, às 11h pelo YouTube.

No vídeo É preciso falar de Lélia Gonzalez, será exibida a trajetória e biografia da militante, dilósofa, historiadora, antropóloga, política e intelectual Lélia Gonzalez que contribuiu fortemente para a história afro-ameríndia. O vídeo será exposto no dia 23 de novembro, segunda-feira, às 15h pelo YouTube.

A oficina de Máscaras Africanas tem como objetivo trabalhar o senso criativo utilizando como referência a cultura Africana, com variados modelos para enfeitar o ambiente com essa arte milenar. A atividade será exibida pelo YouTube no dia 27 de novembro, sexta-feira, às 15h.

O projeto Filosofia do Samba visa apresentar, por meio de produções audiovisuais, análises de sambas históricos feitos por compositores pretos e como estes, muitas vezes sem uma formação acadêmica tradicional, criaram obras que analisaram a sociedade de maneira tão crítica quanto os maiores pensadores acadêmicos de todas as épocas. O projeto será apresentado no YouTube, no dia 27 de novembro, sexta-feira, às 18h.

O Festival de RAP terá a presença de Winnit que propõe um espaço para o diálogo sobre racismo, amor, superação, e ascensão do povo preto, muito improviso e música. O festival também receberá T Mac, que traduz em música, a experiência de equilibrar os desafios do cotidiano, como pagar as contas, ter condições para o lazer com esposa e família, estudar para gerenciar a carreira, cursar espanhol, estudar canto, e ainda separar uma grana para investir nos custos de música independente. O show será exibido pelo YouTube, no dia 28 de novembro, sábado, às 20h.

A dançarina Jeniffer de Paula apresentará o espetáculo Dançando com o Sagrado, inspirado nos ritmos africanos dos Òrìṣà. A atividade será gravada presencialmente e exibida on-line pelo YouTube no dia 30 de novembro, segunda-feira, às 19h.