Projeto Sinta-se em Casa é iniciado em Araras, SP

Anúncio

Parceria entre a Casa da Memória e o Cras Leste tem o objetivo de promover a inclusão social e o direito à Cultura.

O projeto “Sinta-se em Casa”, promovido pelas Secretarias Municipais de Cultura e de Assistência Social, teve início na última quinta-feira (6), no Cras (Centro de Referência de Assistência Social) José Olavo Paganotti.

Coordenada pela equipe da Casa da Memória Pedro Pessotto Filho, a ação é fruto dos encontros “Passa lá em Casa”, realizados no final de 2019 e início de 2020, e está inserida no contexto da campanha do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP): #SonharoMundo, Direito à Cultura. Nesses encontros foram debatidas as possibilidades de parceria entre as Secretarias para elaboração de um projeto que contemplasse ações relacionadas aos Direitos Humanos.

Os principais objetivos do “Sinta-se em Casa” consistem em promover a inclusão social e – por meio da realização de atividades fora das paredes do museu – atuar no seio de comunidades em situação de risco, a fim de conquistar novos públicos e, principalmente, assumir uma atitude socialmente responsável. A ideia é trabalhar com grupos menos privilegiados e tradicionalmente não frequentadores de museus, para os quais se entende que os museus devem desenvolver ações mais proativas de aproximação.

O público-alvo são indivíduos inseridos no PAIF (Proteção e Atendimento Integral à Família), do Ministério da Cidadania, do Governo Federal. Com aproximadamente 20 pessoas, o grupo de participantes realizará atividades diversas, que vão desde visitas ao Museu à rodas de conversas e dinâmicas com temas relativos à memória, pertencimento e identidade. Os locais escolhidos para ações serão a Casa da Memória e o Cras Leste. Segundo o cronograma, serão realizadas oito reuniões do “Sinta-se em Casa”.

“Pesquisas apontam que a frequência aos museus no Brasil é fortemente impactada pela classe econômica e escolaridade dos visitantes. Portanto, grupos majoritários da sociedade, em particular aqueles socialmente vulnerabilizados, costumam compor a parcela excluída do acesso a este equipamento cultural. Em diálogo com essa realidade, o projeto “Sinta-se em Casa” almeja trabalhar com grupos menos privilegiados e tradicionalmente não frequentadores de museus, para os quais se entende que os museus devem desenvolver ações mais proativas de aproximação”, explicou a Larissa Rizzatti Gomes, coordenadora o Educativo Casa da Memória de Araras.

Para a assistente social Nayara Rodrigues da Silva, a proposta de parceria buscará, ao longo dos encontros, fomentar reflexões e noções de identidade e pertencimento, proporcionando a estes sujeitos dignos de direito, reflexões diante de suas histórias individuais e coletivas. “O público referenciado do PAIF constitui-se de cidadãos e grupos que se encontram em situação de vulnerabilidade e riscos, como famílias e indivíduos com perda ou fragilidade de vínculos de afetividade, pertencimento e sociabilidade, identidades estigmatizadas em termos étnico, cultural e sexual, entre outros”, acrescentou.

Outras informações sobre o “Sinta-se em Casa” podem ser obtidas pelo telefone 3542-7602 (Casa da Memória) e 3551-1829 (Cras Leste).