PT e PDT pedem remoção de vídeo de Bolsonaro e diplomatas

PUBLICIDADE

Na reunião, presidente questionou sistema eleitoral brasileiro.

O PDT e PT entraram com representações no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo para que o vídeo da reunião do presidente Jair Bolsonaro (PL) com diplomatas, ocorrida na segunda-feira (18), seja removido das redes sociais. Na ocasião, o chefe do Executivo levantou dúvidas sobre a segurança do processo eleitoral brasileiro e criticou ministros da Corte.

No documento enviado ao TSE, o partido de Ciro Gomes (PDT) afirma que o líder brasileiro atacou a “integridade do sistema eleitoral através de fake news”. A sigla ainda pede que a instituição multe Bolsonaro em R$ 25 mil por propaganda eleitoral antecipada, por entender que “o ataque à Justiça Eleitoral e ao sistema eletrônico de votação faz parte da sua estratégia de campanha”.

PUBLICIDADE

– Não se pode permitir que, sob as vestes da liberdade de manifestação, se promovam acintes à integridade do processo eleitoral e ao sistema eletrônico de voto, com a veiculação de fatos sabidamente inverídicos e que tenham potencial lesivo para abalar a normalidade do pleito eleitoral que se avizinha – assinalou o PDT no documento.

Em sua representação, a legenda do ex-presidente Lula corrobora com a visão do PDT, e também pede que seja aplicada multa de igual valor, além da remoção dos conteúdos, que se encontram no YouTube, Instagram e Facebook.

– É nítida a propagação de desinformação com o objetivo de realizar propaganda irregular, o que representa verdadeira ameaça à lisura do pleito que se aproxima, tendo em vista a capacidade de influir diretamente na escolha das eleitoras e dos eleitores ao afetar sua liberdade de conhecimento, o que exige reprimenda exemplar desta Justiça Especializada, de modo a proteger o pleito que se avizinha da insegurança repetidamente instaurada pelo Representado – afirmam os petistas.

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP