Quais as melhores maneiras para fazer endomarketing na sua empresa?

As estratégias de endomarketing atuam na fidelização de colaboradores. 

Chamamos de endomarketing ou de marketing interno as estratégias de criação, comunicação e divulgação voltadas para a aproximação e a fidelização do público interno da companhia – ou seja, dos próprios colaboradores.

A ideia é que, por meio da implementação de técnicas específicas e ações direcionadas, o RH consiga aproximar os funcionários que porventura estejam incertos sobre a sua estadia, além de atrair novos talentos, aumentar os níveis de engajamento e satisfação e diminuir o absenteísmo.

Convém dizer que endomarketing não é o mesmo que comunicação interna. No primeiro caso, estamos diante de iniciativas que unem o RH e a equipe de marketing, visto que o objetivo é promover conscientização, encantamento e proximidade.

Quando falamos sobre comunicação interna, por sua vez, nos referimos às estratégias de comunicação que desejam atingir os colaboradores, mas com o intuito de transmitir os valores e as informações necessárias para a saúde da organização.

Neste artigo, falaremos sobre algumas estratégias de marketing interno que costumam ter bons resultados.

Vale lembrar, porém, que cada empresa tem um público específico e que é dever do RH mapeá-lo – desta maneira, é possível criar soluções personalizadas e oferecer benefícios que realmente dialogam com o público interno. Vamos lá:

Endomarketing: por onde começar?

Falamos há pouco sobre a questão do mapeamento de funcionários. Trata-se de algo obrigatório e que, se ainda não estiver consolidado, deve ser revertido o mais depressa possível.

Precisamos entender qual é o perfil do nosso funcionário. Na prática, queremos saber de onde ele vem, qual é o seu background educacional e profissional, quais são as suas expectativas de curto e longo prazo e o que ele espera da companhia onde está.

Além disso, vale colher feedbacks sobre comportamento de colegas e líderes, percepções sobre o que está bom e o que pode ser melhorado e, claro, perguntar sobre o clima organizacional.

É impossível fazer boas estratégias de endomarketing em um espaço onde a segurança e o desconforto predominam.

Sem um bom clima organizacional, portanto, não existe retenção de talentos, tampouco aumento do engajamento e da proximidade de equipes. Ao primeiro sinal de desgaste e adoecimento, o RH deve agir.

Para coletar as informações que foram citadas, o RH pode investir não apenas em conversas individuais, feitas em espaços seguros e sem a presença de superiores, mas em questionários anônimos. Dessa maneira, quem não se sentir confortável para ser identificado pode falar livremente.

Vale se perguntar, porém, o seguinte: se o meu funcionário não quer se identificar, será que estou oferecendo um local seguro o bastante para ele? Ele tem medo de represálias? Se sim, por parte de quem? Todas essas informações são necessárias para resolver rusgas, melhorar o relacionamento interpessoal e diminuir o turnover.

Em posse de tudo o que já foi citado, é possível começar a trabalhar em outras ações de endomarketing. Algumas das mais adotadas são:

Criação de conteúdo sobre a empresa

A produção de materiais internos, como vídeo-aulas, powerpoints, vídeos institucionais e até jogos – vamos lembrar que a gamificação é uma tendência real, que não pode ser ignorada! – ajuda na aproximação com a empresa.

O ideal é que cada trabalhador saiba recitar quais são os valores e princípios da companhia, uma vez que eles devem dialogar com a sua própria percepção de mundo. Ninguém veste a camisa de algo que não ressoa: é por isso que precisamos de trabalhadores apaixonados, e não apenas de funcionários.

Promoção de eventos internos

O contato com os demais colegas e superiores promove aumento do bem-estar e da sensação de ser valorizado. Quando tratado como um igual – visto que ele o é! -, o trabalhador tende a se sentir mais motivado para falar, trabalhar e trazer suas ideias para a mesa de discussão.

Eventos internos, como happy hours, oferecimento de aulas de yoga ou relaxamento, tardes de descanso – alguns espaços oferecem, por exemplo, quick massage de 15 minutos em dias específicos do mês – e afins tendem a gerar incríveis resultados.

Oferecimento de benefícios corporativos personalizados

Quando conhecemos o perfil do nosso colaborador, podemos oferecer o que ele deseja de fato. Nem todos querem, por exemplo, um vale para ir à academia: tem quem goste mais da ideia de fazer home office uma vez na semana, por exemplo.

Benefícios que dialoguem com as particularidades do trabalhador tendem a ser bem aceitos. Existe uma vantagem corporativa, porém, que costuma ser unânime: a implementação de planos de previdência privada. Este é um benefício que, quando oferecido, geralmente tem efeito gigante na simpatia do colaborador pela companhia!

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP