Quanto custariam a gasolina e o diesel se o ICMS fosse zerado?

Saiba como é feita a distribuição dos custos dos combustíveis nas bombas e qual o valor cobrado sem o tributo aplicado por cada estado.

A alta nos preços dos combustíveis, como da gasolina e do diesel, tem assustado os condutores brasileiros. A discussão acerca dos valores cobrados perpassa diferentes setores, começando pelas refinarias, passando pelas distribuidoras e chegando aos postos de comercialização dos produtos.

Conforme esclarece a legislação brasileira, a gasolina deve ser misturada com etanol anidro, o que aumenta o preço final para o consumidor. Também estão incluídos nos custos de venda do produto as margens de lucro das distribuidoras dos postos, além do ICMS – imposto estadual que incide a circulação de produtos de diferentes esferas.

Confira a seguir como é feita a divisão de todos os componentes do preço da gasolina que aparece na bomba:

  • 10,7%: Distribuição e Revenda;
  • 16,9%: Custo etanol Anidro;
  • 27,7%: ICMS;
  • 11,3%: CIDE, Pis/Pase e Cofins;
  • 33,4% Realização Petrobras;
  • 100%: Total.

 

No caso do diesel, a cobrança é feita da seguinte maneira:

  • 11,1%: Distribuição e Revenda;
  • 13,9%: Custo biodiesel;
  • 16,0%: ICMS;
  • 6,9%: CIDE, Pis/Pase e Cofins;
  • 52,1%: Realização Petrobras;
  • 100% Total.

Custo da gasolina e do diesel sem o ICMS

Tendo em vista que o ICMS cobrado por cada unidade federativa é responsável por 27,7% do preço final do combustível, no caso da gasolina, e de 16,0% em relação ao diesel, quanto seriam seus valores caso o tributo fosse isento? Considerando o preço médio de revenda divulgado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) da semana de 19/09/2021 a 25/09/2021, foram montadas as seguintes tabelas abaixo:

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT