“Querem subsídios”, diz Bolsonaro sobre saída da Ford do Brasil

Presidente lamentou a perda dos empregos, mas afirmou que “negócio é negócio”.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta terça-feira (12) que “negócio é negócio”, ao comentar a decisão da montadora Ford de encerrar as atividades no Brasil. Bolsonaro citou a concorrência no mercado automotivo e a não concessão de subsídios do governo para a empresa, como razões que levaram a companhia a deixar o país depois de cem anos. 

“Na verdade, eles tiveram subsídios nossos ao longo dos últimos anos de R$ 20 bilhões. Queriam renovar subsídio para fazer carro para vender. Agora, tem a concorrência também, chinesa, entre outros. Então saiu porque num ambiente de negócios, quando você não tem lucro, você fecha”, disse a apoiadores, no Palácio da Alvorada. “Faltou a Ford dizer a verdade.”

O presidente lamentou a perda de 5 mil empregos, e criticou a imprensa, que, segundo ele, culpa a falta de ambiente de negócios no país e a atuação do governo pela decisão da montadora.  “Agora a imprensa ?desce a lenha? em cima de mim, porque eu devia evitar a perda de 5 mil empregos. Repito, lamento, 5 mil empregos perdidos. (?) Agora, negócio é negocio. Deu lucro, o cara fica aqui. Não deu lucro, o cara não produz mais aquilo, fecha”, afirmou. 

Bolsonaro não comentou o posicionamento de instituições como a Confederação Nacional da Indústria (CNI), de que a decisão da montadora é um alerta para necessidade de aprovação urgente de medidas “para a redução do Custo Brasil” –  entre elas a reforma tributária, prioritária para melhorar a competitividade do setor industrial brasileiro. 

Também não respondeu às críticas do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que afirmou que a decisão é uma demonstração clara da “falta de credibilidade do governo brasileiro, de regras claras, de segurança jurídica e de um sistema tributário racional”. Veja abaixo o trecho da conversa do presidente com apoiadores nesta manhã:

clique na imagem e saiba mais