“Respeitem a nossa cor, respeitem o nosso cabelo, porque é dolorido demais passar por tudo isso”

PUBLICIDADE

Moradora de Bauru (SP) registrou BO e publicou desabafo nas redes sociais. Ela contou que foi revistada pelo gerente do estabelecimento por ser negra. Após relato, farmácia foi alvo de protesto.

Uma cozinheira de 39 anos registrou um boletim de ocorrência depois de ter a bolsa revistada na saída de uma farmácia, no Centro de Bauru (SP).

A cliente alegou que a vistoria feita pelo gerente do estabelecimento foi motivada por preconceito e a denúncia dela gerou um protesto em frente à farmácia, no sábado (28). O ato reuniu aproximadamente 25 pessoas na Avenida Duque de Caxias.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado com natureza “não criminal”, Regiane contou à polícia que, durante as compras na farmácia, o gerente do estabelecimento se aproximou dela duas vezes, perguntando se ela precisava de ajuda.

PUBLICIDADE

Conforme o BO, a cozinheira dispensou a ajuda e depois que passou no caixa o homem pediu para ver a bolsa dela. “É constrangedor você sair do emprego, passar para comprar remédio para seus filhos e passar por uma situação dessa, como se estivesse roubando, com as pessoas dentro da farmácia olhando para mim”, afirma a cozinheira.

Além de registrar o BO, Regiane Rosa também publicou um desabafo nas redes sociais sobre o caso, no último dia 20. O vídeo já tinha quase 3 mil visualizações até este fim de semana. “Respeitem a nossa cor, respeitem o nosso cabelo, porque é dolorido demais passar por tudo isso”, continua Regiane.

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP