Saiba quais os prejuízos do álcool para o corpo e como evitar a ressaca

Anúncio
Clique na imagem. Link direto para Whatsapp

Além da cirrose, consumo excessivo pode causar diversas complicações perda de musculatura e diminuição no apetite.

Muitas pessoas acreditam que ingerir bebida alcoólica de vez em quando não faz mal à saúde. O que muitos desconhecem são os efeitos do consumo excessivo ao organismo, seja no curto ou no longo prazo.

De acordo com a médica Carolina Pimentel, gastroenterologista do Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo, quanto mais etanol no corpo, mais o fígado trabalha, já que o órgão é responsável pelo metabolismo do organismo. “As outras funções ficam prejudicadas porque o fígado desvia para essa urgência, prejudicando o metabolismo”, explica.

Além da cirrose, o álcool pode causar doenças no sistema nervoso, demência, problemas de coração (como cardiopatia cirrótica), prejuízo no pâncreas, pancreatite, câncer de pâncreas, alterações no intestino, perda de musculatura, diminuição no apetite e desnutrição.

Quem bebe grandes quantidades, diárias ou não, deve conversar com seu médico para fazer exames e investigar sinais de comportamento do fígado. “Consumir grandes quantidades eventualmente pode ser tão danoso quanto o consumo diário. Alcoólatra não é só quem bebe todo dia”, afirma.

Sem ressaca

A ressaca pode e deve ser evitada, uma vez que o mal-estar generalizado gerado após a ingestão excessiva de álcool costuma causar, como enjoo, dor de cabeça, cansaço, diarreia e sensibilidade à luz.

Alguns cuidados que devem ser tomados principalmente antes de ingerir a primeira dose de álcool. É importante preparar o estômago e fígado, alimentando-se, sobretudo de alimentos ricos em gordura e ingerir bastante água para manter a hidratação, evitando a perda de líquido no organismo.

Esses cuidados evitam também a agressão direta sobre a mucosa do estômago e esôfago, fazendo com que a sensação de queimação e náusea seja menos intensa, devido à irritação causada pela bebida alcoólica.

De acordo com o hepatologista Carlos Baía, é necessário observar os rótulos das bebidas com a classificação do percentual alcoólico nas garrafas. “O ideal é não abusar da bebida alcoólica. A intensidade da ressaca está relacionada à quantidade de álcool ingerida, não importando se a bebida é fermentada ou destilada”, diz.

No dia seguinte, para melhorar o metabolismo do fígado é importante descansar, alimentar-se de coisas leves como verduras e legumes cozidos, diminuindo frituras, doces e alimentos gordurosos. Também é fundamental reforçar a hidratação com água, chás e bebidas isotônicas.