Síndrome de Asperger: conheça as diferentes nuances do transtorno do autismo

Nome da condição foi alterado e agora os sintomas estão incluídos no chamado Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Por muitos anos, 18 de fevereiro foi marcado como o Dia Internacional da Síndrome de Asperger. O nome da condição foi alterado de acordo com a nova versão da Classificação Internacional de Doenças (CID), que passou a valer em 2022.

Agora, os sintomas estão incluídos no chamado Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), que reúne diferentes manifestações que afetam o desenvolvimento neurológico, presentes desde o nascimento ou começo da infância.

O diagnóstico do autismo é definido a partir do nível de gravidade, ou de acordo com a necessidade de apoio de cada indivíduo. São considerados três níveis: leve, moderado e severo.

Em geral, pessoas associadas anteriormente à síndrome de Asperger são consideradas autistas no nível 1, leve. Esses indivíduos podem apresentar problemas de interação social, associados à dificuldade para compreender e expressar emoções, assim como gestos, expressões faciais e demais aspectos da linguagem não verbal.

Alterações sensoriais podem fazer com que eles percebam cores, sons e cheiros de maneira mais intensa, levando a uma maior sensibilidade diante de ruídos e incômodo em situações de aglomeração. Assim como as demais condições de saúde mental, os transtornos do espectro do autismo apresentam diferentes nuances de uma pessoa para outra, o que pode adiar o diagnóstico.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP