Substituições dos hidrômetros evitam erros na leitura, vazamento e até quebra, diz Saema

Atualmente, a autarquia troca em média de 250 a 300 hidrômetros por mês. O município possuí no momento 50.611 ligações.

Assim como vários equipamentos os hidrômetros sofrem desgastes em decorrência do uso e por isso o Saema (Serviço de Água e Esgoto do Município de Araras) possui um sistema que controla a vida útil dos aparelhos e alerta quando há necessidade de troca.

A troca é realizada geralmente quando o fiscal leiturista detecta alguma irregularidade no aparelho do imóvel ao fazer a leitura mensal. De imediato a comunicação é feita para a substituição do mesmo. O serviço evita erros na leitura, vazamentos e quebras.

A vida útil também é um dos principais motivos da troca, com o tempo ele costuma perder a precisão na medição. Além disso, o desgaste pode causar a quebra do equipamento e, em alguns casos, vazamentos. A troca de hidrômetro não tem custo.

Outro motivo que leva a autarquia a realizar a substituição dos equipamentos é a constatação de fraudes. Nesse caso pode ser gerada uma multa para o munícipe. “A troca dos hidrômetros é de grande importância, além de aferirmos corretamente a água consumida, pode prevenir danos ao imóvel causados por vazamentos subterrâneos ou de difícil localização, chamados invisíveis, que são detectados na grande maioria pelo consumo”, disse André Silvério, chefe do Atendimento.

Atualmente, a autarquia troca em média de 250 a 300 hidrômetros por mês. O município possuí no momento 50.611 ligações.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT