Tarcísio critica MST e defende que movimento seja ‘banido do Brasil’

PUBLICIDADE

Pré-candidato participou de evento com empresários do interior de São Paulo e afirmou que a atuação dos ‘Trabalhadores Rurais Sem Terra’ aumenta a insegurança no país.

O pré-candidato ao governo do Estado de São Paulo, Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos), participou de uma reunião com empresários na Associação Comercial de Presidente Prudente nesta terça-feira (26), e criticou a atuação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no interior paulista. Ao ser questionado sobre os planos de sua possível gestão para a região do Pontal do Paranapanema – área do extremo oeste conhecida pela presença de presídios e de atuação dos sem-terra -, o ex-ministro da Infraestrutura do governo Bolsonaro disparou em direção do movimento.

PUBLICIDADE

“Esse fantasma do MST tem que ser banido do Brasil, porque a única coisa que eles trouxeram até hoje foi insegurança, para o campo, para o crédito, para investimento”, argumentou.

Em resposta, o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, João Paulo Rodrigues, rebateu a declaração de Tarcísio e afirmou no site oficial do coletivo que seus militantes lutam pela reforma agrária, pela melhoria na qualidade de vida dos agricultores e pela distribuição de alimentos saudáveis à população.

São Paulo precisa de um governador que tenha coragem para banir a fome e o desemprego, a desigualdade social, a concentração de renda e o latifúndio, e a intolerância, o autoritarismo e o discurso de ódio”, disse. Por fim, João Paulo fez referência à discussão envolvendo o domicílio eleitoral do ex-membro do governo federal e se disponibilizou a “dar uma aula sobre a vida no interior de São Paulo” ou a “indicar algum curso para iniciantes no território paulista”.

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP