Taxa de desemprego no Brasil sobe para 14,2%

Já que o crescimento do emprego não acompanhou o número de pessoas que retornaram ao mercado de trabalho para procurar emprego.

BRASÍLIA (Reuters) – O desemprego no Brasil subiu em janeiro pela primeira vez em quatro meses, mostraram os números na quarta-feira, iniciando o ano novamente acima de 14%, já que o crescimento do emprego não acompanhou o número de pessoas que retornaram ao mercado de trabalho para procurar emprego.

A taxa de desemprego de 14,2% nos três meses até janeiro foi ligeiramente superior à mediana de 14,1% prevista em uma pesquisa da Reuters com economistas, avançando lentamente para o recorde de 14,6% nos três meses até setembro. Subiu de 13,9% no último trimestre de 2020.

Dados da agência de estatísticas IBGE mostram que o número de brasileiros oficialmente desempregados nos três meses até janeiro aumentou ligeiramente para 14,3 milhões, de 14,1 milhões nos três meses até outubro, e um aumento de 20% em relação ao ano anterior.

Cerca de 86 milhões de brasileiros tinham trabalho, um aumento de 2% ou 1,7 milhão de pessoas em relação ao período de agosto-outubro, mas ainda uma queda de 8,6% ou 8,1 milhões de pessoas em relação ao mesmo período do ano anterior.

A força de trabalho ficou em 100,3 milhões de pessoas, um aumento de 2% ou 1,9 milhão nos três meses até outubro, e o número de pessoas fora da força de trabalho caiu totalmente em 1,1%, para 76,4 milhões, disse o IBGE. A taxa de subemprego caiu de 29,5% para 29% no período de agosto a outubro, informou o IBGE.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT