Telessaúde da Unicamp cria o Orienta COVID

Vestibular da Unicamp é um dos mais disputados do Brasil

Atendimentos são realizados remotamente por meio de um número fornecido à população e redirecionado aos alunos voluntários.

Desde março, os alunos de Medicina e Enfermagem da Unicamp – Universidade Estadual de Campinas (SP) prestam orientação via telefone aos pacientes com sintomas relacionados à COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus. Os atendimentos são realizados remotamente por meio de um número fornecido à população e redirecionado aos celulares dos alunos voluntários. O telefone é (19) 3521-9130.

Até maio, já foram realizados mais de 1.100 atendimentos, sendo 65,3% da procura relacionada aos sintomas da enfermidade. A grande maioria das chamadas é proveniente de São Paulo (90%), mas os alunos já receberam ligações de todos os estados do Brasil.

“Os estudantes locais conhecem melhor o seu território. Assim, quando um paciente de Manaus liga ao Telessaúde da Unicamp, não possuímos todas as informações deste local para poder orientá-lo, sendo preferível que os próprios estudantes de Manaus pudessem atendê-lo para prestar as melhores recomendações”, comenta o estudante do curso de Medicina David Cirigussi, membro do grupo de Telessaúde da Unicamp.

clique na imagem e saiba mais

Pensando na melhor forma de levar informação correta sobre COVID-19 e replicar a experiência do Telessaúde da Unicamp em outros estados, David idealizou o programa Orienta COVID, já implantado em Minas Gerais, Pará, Espírito Santo e Tocantins.

Capacitação

De acordo com a iniciativa, os alunos voluntários devem ser capacitados por meio de cursos do Ministério da Saúde, da Organização Mundial da Saúde (OMS) ou de outras fontes científicas fidedignas. Semanalmente, eles são incentivados a realizar discussões de casos com professores sobre temas relacionados à doença.

Durante todo o período de atendimento, deve haver supervisão dos professores das universidades participantes para sanar eventuais dúvidas. “Essa iniciativa é praticamente dos alunos. Eles transformaram o Telessaúde em um projeto de abrangência nacional. Com isso, os estudantes se comprometem com atividades mesmo em período de isolamento, aprendem com os professores e dão orientação adequada à população sobre quando procurar atendimento médico ou como se proteger em casa. Isso está sendo muito útil à população”, salienta ao Portal da Unicamp Gustavo Pereira Fraga, cirurgião do trauma e professor do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas (FCM).

O serviço de orientação não proporciona benefícios apenas ao paciente. Com a interrupção das aulas presenciais em boa parte das universidades, os estudantes acabam perdendo o contato com o paciente, o que é vital na formação médica. Durante a orientação, os alunos têm a oportunidade de entrar em contato, fazer uma anamnese e seguir uma conduta, o que possui grande valor durante a formação médica neste momento.

“Pretendo levar todo esse conhecimento a outras universidades do país para somarmos esforços no combate à COVID-19 e ampliar o número de pacientes beneficiados por essa ação. Teremos um site que reunirá todas as iniciativas do território nacional, proporcionando uma maior visibilidade de todos os serviços associados ao Orienta COVID”, explica David Cirigussi ao Portal da Unicamp.

Os interessados podem obter mais informações por e-mail: orientacovid@gmail.com.