TSE dá 10 dias para PSDB explicar realização das prévias

Decisão do ministro Benedito Gonçalves considerou mandado de segurança impetrado por filiado ao partido, que pediu a suspensão do processo das prévias.

O ministro Benedito Gonçalves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta terça-feira (24) que o PSDB explique em até 10 dias a realização das prévias eleitorais que visam escolher o pré-candidato do partido à Presidência da República nas eleições 2022.

A decisão ocorreu devido a um mandado de segurança apresentado por Gustavo Futagami da Silva, advogado e eleitor filiado à sigla. Segundo ele, a instabilidade no aplicativo da legenda “ferem direito líquido e certo do filiado de escolher, através do voto, o próximo presidenciável do PSDB”.

Benedito Gonçalves decidiu colher a manifestação do partido antes de julgar a procedência do mandado de segurança impetrado.

A votação foi paralisada no último domingo após uma falha no aplicativo, que impediu a votação de filiados do partido no nome de preferência. Arthur Virgílio, ex-prefeito de Manaus, João Doria, governador de São Paulo, e Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, disputam as prévias do partido.

“Considerando a repercussão do tema e, ainda, as notas veiculadas no sítio eletrônico do Partido da Social Democracia Brasileira desde a data de ontem (23/11/2021) noticiando a suspensão das prévias partidárias até que solucionadas as intercorrências tecnológicas quanto ao processo de votação, entendo prudente que o exame do pedido liminar ocorra após a legenda prestar as informações cabíveis”, destacou o relator.

De acordo com fontes da cúpula do PSDB ouvidas pela analista de política da CNN Basilia Rodrigues, o partido dará uma justificativa dentro do prazo determinado pela Justiça, ou seja, 10 dias. “O Ministro está perguntando para o PSDB o que aconteceu, uma resposta que o próprio partido ainda não tem, já que a fundação responsável pelo desenvolvimento do aplicativo ainda não sabe o que deu errado”, disse Basilia.

Nesta quarta-feira, o PSDB disse que realizou testes ao longo da madrugada com um novo aplicativo contratado pelo partido, mas os resultados “não foram totalmente satisfatórios”. “O PSDB e campanhas já programam testes com nova empresa”, diz a nota. “Outras entidades também já estão contatadas”, concluiu o comunicado.

Questionado na terça-feira (23) sobre o modelo adotado pelo partido para definir um candidato, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, ressaltou que o processo é inovador, mas que foram “vítimas da tecnologia”.

“Tomamos uma medida que foi moderna, foi inovadora. Podíamos ter feito um modelo que podia gerar um nível de participação bem menor, estamos aprendendo com o processo, porque o processo é inovador. Nós fomos vítimas da tecnologia”, destacou.

O PSDB informou, por comunicado à imprensa, que “solicitará nota técnica à Fundação de Apoio à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs) sobre as informações pedidas”.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP