UFSCar busca voluntários para pesquisa sobre treinamento de força

PUBLICIDADE

Estudo é realizado em parceria com a Unesp. Inscrições encerram em 1º de julho.

Projeto realizado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) recruta, até 1 de julho, voluntários para participar de uma pesquisa desenvolvida por estudantes do Programa Interinstitucional de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas (PIPGCF) da UFSCar-Unesp.

O estudo tem o objetivo de avaliar os efeitos de diferentes modelos de progressão do volume de carga do treinamento de força sobre os mecanismos moleculares, força e massa muscular de pessoas jovens não treinadas.

Pesquisa

A pesquisa é um projeto de doutorado realizada por três alunos do PIPGCF, João Guilherme Almeida Bergamasco, Maíra Camargo Scarpelli e Talisson Santos Chaves, sob orientação de Cleiton Augusto Libardi, docente do Departamento de Educação Física e Motricidade Humana (DEFMH) da UFSCar.

De acordo com os pesquisadores, os resultados da pesquisa podem ajudar a tornar a prescrição do treinamento de força mais eficaz na obtenção de resultados importantes para a saúde e bem-estar de toda a população, em especial, grupos que se beneficiam de melhorias metabólicas, musculares e funcionais. “Será possível também compreender melhor os mecanismos moleculares que atuam no ganho de massa muscular e possivelmente em doenças que envolvam o músculo esquelético”, complementam.

PUBLICIDADE

Treinos

Durante três meses, os participantes receberão, gratuitamente, treinamentos de força e musculação. As atividades serão supervisionadas individualmente por profissionais de Educação Física.

Os treinos serão presenciais no Laboratório de Adaptações Neuromusculares ao Treinamento de Força (Musculab), do DEFMH da Universidade, e ocorrerão entre duas e três vezes por semana. Além disso, os participantes farão avaliações de força, massa e tecido muscular.

Inscrições e requisitos

Para realizar o estudo, estão sendo convidados homens e mulheres, entre 18 e 35 anos de idade, que não pratiquem musculação há, pelo menos, seis meses.

Interessados devem entrar em contato com os pesquisadores até o dia 1º de julho pelo e-mail [email protected] ou pelos telefones/WhatsApp (16) 99748-6602 (João) ou (16) 99611-8320 (Talisson).

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP