Unesp cria bolsa-auxílio para estudantes que se tornarem mães durante graduação e pós

Valor começa a ser pago a partir de 2022. As alunas que se tornarem mães durante a graduação receberão R$ 400; para a pós-graduação, o valor será de R$ 1.500.

Após identificar que parte das alunas e professoras estavam desistindo da carreira por conta da maternidade, a Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) criou um programa que oferece bolsas para alunas de graduação e pós-graduação que se tornarem mães durantes os cursos. Professoras também terão acesso ao benefício.

O programa entra em vigor no próximo ano. Para alunas de graduação será pago R$ 400 por mês, já para alunas da pós-graduação, o valor é de R$ 1.500. O benefício será mantido por até 6 meses. Atualmente, metade dos 60 mil estudantes de graduação são mulheres.

O percentual é um pouco maior no caso da pós-graduação. Veja abaixo:

Graduação tem 60 mil alunos: 50,7% mulheres

Pós-graduação tem 14 mil alunos: 54,5% mulheres

O problema também afeta professoras: um levantamento realizado pela universidade identificou que pelo menos 20% delas acabam desistindo da carreira acadêmica depois de se tornarem mães.

A Unesp também deve votar nas próximas semanas uma mudança nas regras dos programas de pós-graduação para estender os prazos de entrega de trabalhos e pesquisas para estudantes com bebês.

Segundo a reitoria, isso irá reduzir o risco de que elas sejam desligadas por não darem conta da produção cientifica. “Isso vai estimular tanto discentes e docentes a permanecer na universidade e contribuir para o desenvolvimento da ciência no Brasil. Quando uma mulher abandona o seu curso de pós-graduação, o país acaba perdendo porque ela poderia contribuir com novas ideias, com desenvolvimento científico, com novos produtos para impactar o mundo”, afirmou Maria Valnice Boldrin, pró-reitora de pós-graduação da Unesp.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP