Estudo encontrou pequenas porções de formol, água oxigenada, entre outros. De acordo com pesquisadores, equipamentos convencionais não são capazes de detectar os produtos.

Uma pesquisa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) desenvolveu uma técnica capaz de identificar pequenas quantidades de substâncias usadas para adulteração do leite. De acordo com o estudo, feito em uma tese de doutorado da instituição, os equipamentos convencionais não eram capazes de detectar pequenas partículas de produtos proibidos como formol, água oxigenada, cândida e soda cáustica.

As substâncias são usadas para estender a vida útil do leite e gerar maior rentabilidade. No entanto, a medida pode causar problemas à saúde ou até levar a morte. Durante o estudo, que durou 18 meses, os pesquisadores usaram pelo menos cinco marcas de leite encontradas em supermercados e identificaram alguns dos produtos.

O método utilizado foi entrar em contato com um produtor de “leite cru” e adulterar o alimento em laboratório até chegar a apenas 1% de cada substância, para poder comparar com os leites dos supermercados. De acordo com o coordenador da pesquisa, Rodrigo Catharino, a maior preocupação foi em relação ao formol.

“Nós vimos muitos casos de adulteração de leite, tanto em mídia, como em literatura. Então, resolvemos direcionar a nossa pesquisa para resolver esse problema. Todas as marcas tinham alguns desses contaminantes no produto final. Tinha marcador de formol, de soda cáustica, isso é preocupante. A nossa pesquisa garante para a população um leite mais saudável”, explicou o professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas.

O novo método pode ser utilizado por órgãos fiscalizadores de qualidade e defesa de consumidor, além de empresas que usam o leite como matéria prima.

Estudou da Unicamp demorou 18 meses e identificou substâncias como formol — Foto: Reprodução/EPTV

Riscos

O médico nutrólogo Edson Credídio afirmou que o leite é um alimento fundamental para a saúde de crianças e adultos e, por isso, os riscos de ter o alimento com quantidades de formol e outras substâncias podem ser irreversíveis.

“As pessoas podem achar que, por serem mínimas substâncias, não faz mal, mas os efeitos podem ser devastadores para o organismo. Você toma o leite e começa a ter problemas de saúde, acha que é o leite, mas não é, é o produto que está nele”, disse.


Aviso: Os comentários só podem ser feitos via Facebook e são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, sendo passível de retirada, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here