Unicamp prorroga suspensão das atividades presenciais até 30 de abril por conta do coronavírus

Medida considerou a quarentena decretada no estado e em Campinas. Apenas serviços essenciais devem ser mantidos.

A Unicamp prorrogou a suspensão das atividades presenciais da instituição até o dia 30 de abril por conta da pandemia do novo coronavírus. De acordo com a nova resolução da universidade, assinada na noite de domingo (22) pelo reitor Marcelo Knobel, apenas os serviços essenciais continuam mantidos. A determinação é válida para os campi de Campinas (SP), Limeira (SP) e Piracicaba (SP). A medida anterior tinha data prevista de encerramento no dia 12 de abril.

A prorrogação da suspensão das atividades presenciais considerou a quarentena decretada no Estado de São Paulo e em Campinas para tentar conter o avanço dos casos de Covid-19. Só no campus de Campinas, 50 mil pessoas circulam pela universidade todos os dias.

clique na imagem e saiba mais

Nesta segunda-feira (23), o Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp inicia a suspensão de cirurgias eletivas, procedimentos e consultas ambulatoriais, que já havia sido anunciada na última semana. Até a manhã desta segunda, a Secretaria Municipal de Saúde de Campinas registra 9 casos confirmados e investiga 253 casos suspeitos.

De acordo com a nova resolução, a instituição considera essencial as atividades de assistência de saúde, alimentação, serviços administrativos que garantem o funcionamento da universidade e suporte de TI. Os funcionários devem permanecer em quarentena durante o período ou realizar trabalho de home office.

“As atividades administrativas essenciais ao funcionamento da Universidade poderão ser realizadas em regime de contingenciamento ou rodízio, permitido o teletrabalho no período”, diz o texto da resolução.