USP busca voluntários para estudar aplicação de 2 doses da vacina da Janssen

Participantes devem ter entre 18 e 55 anos e não podem ter testado positivo para a doença nem terem tomado outros imunizantes. Inscrições podem ser feitas pela internet.

A USP de Ribeirão Preto (SP) busca voluntários para um estudo que avalia a imunidade contra a Covid-19 a partir da aplicação de duas doses da vacina Janssen em vez da aplicação única.

Os pesquisadores da Faculdade de Medicina (FMRP) precisam de pessoas de 18 a 55 anos em boas condições de saúde que não tenham testado positivo para o novo coronavírus nem tomado outros imunizantes contra a doença. As inscrições podem ser feitas por um formulário disponível na internet.

O estudo é aberto a pessoas que não vivem em Ribeirão Preto, mas os interessados devem ter disponibilidade para ir à USP para a realização dos procedimentos necessários, como triagem e coleta de sangue, dentro do cronograma da pesquisa. Mais informações podem ser obtidas no site da faculdade.

LEIA TAMBÉM: Fiocruz e AstraZeneca firmam compromisso para compra de IFA para produzir 60 milhões de vacinas Covid-19 em 2022

Vacina Janssen

Produzida pela Johnson & Johnson, a Janssen teve seu uso emergencial autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no final de março e é única vacina hoje utilizada com esquema de dose única no Brasil.

A possível aplicação de uma dose de reforço do imunizante já é discutida por técnicos da Anvisa e recentemente foi recomendada por um comitê consultivo independente da agência reguladora norte-americana (FDA, sigla em inglês).

A recomendação é de que a dose extra seja aplicada após dois meses da primeira aplicação para adultos nos Estados Unidos. Segundo a fabricante, a aplicação da segunda dose aumentou de 70% para 94% a eficácia para casos moderados e graves da Covid-19 nos EUA.

LEIA TAMBÉM: Anvisa recebe nova ameaça para negar uso da vacina contra a Covid-19 em crianças

O estudo na USP

O projeto da USP, que também envolve grupos na África do Sul, Polônia e Alemanha, vai avaliar a interação de seis diferentes tipos de concentrações da Janssen, explica a professora da Faculdade de Medicina da USP, Marisa Mussi. “Esse estudo é relevante porque demonstrará se é possível utilizar a vacina com a mesma eficácia com doses de concentrações menores”, diz.

Os voluntários participantes serão acompanhados por ao menos 1 ano, período em que será possível verificar se ele está ou não produzindo defesas contra a Covid. “Caso ele não produza ele receberá mais doses da vacina.”

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT