Venda de antidepressivos genéricos cresce 21%, ante 4,2% dos ‘de marca’

GENE1 SÃO PAULO 16/05/2007 - ECONOMIA - GENERICOS/CADERNO ESPECIAL - PERSONAGENS PARA CADERNO ESPECIAL DA ECONOMIA DO ESTADÃO - MEDICAMENTOS GENERICOS E OFICIAIS DE FABRICA JUNTOS E SEPARADOS.FOTO DIGITAL SERGIO CASTRO/AE
PUBLICIDADE

De acordo com farmacêuticas, cenário de recessão aumenta tanto o uso de medicamentos para o tratamento de depressão e ansiedade, quanto a migração de produtos de referência para genéricos

Visto como um mercado resiliente, que costuma sentir menos os efeitos da crise, o setor de medicamentos continua registrando alta de vendas ano a ano. Mas a combinação de recessão e o aumento do estresse colocou em destaque o crescimento da demanda por antidepressivos e ansiolíticos nas versões genérica e similar, mais baratas que os medicamentos de referência, os “de marca”.

PUBLICIDADE

Um levantamento feito pela Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró Genéricos), a pedido do Estado, mostra que as vendas de genéricos para tratamento de depressão cresceram 21% em unidades no primeiro semestre deste ano, em relação a igual período do ano passado. Os similares, cópias aproximadas dos medicamentos de referência, apresentaram alta de 6,23%, e os de referência, de 4,22%.

O mesmo movimento se repetiu com a categoria de ansiolíticos. Enquanto as vendas em unidades dos genéricos para esta classe terapêutica cresceram 8,47%, no caso dos similares, houve retração de 2,42%. O desempenho também foi negativo para os de referência, com queda de 3,59%.

Fonte: ESTADÃO

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP