Vendas no comércio varejista recuam 3,1% em agosto, após quatro meses de alta

No ano, o varejo acumula alta de 5,1% e nos últimos doze meses, crescimento de 5,0%.

As vendas do comércio varejista brasileiro registraram queda de 3,1% em agosto, após quatro meses de alta, informou o IBGE nesta quarta-feira (6). No mês anterior, a alta havia sido de 2,7%. No ano, o varejo acumula alta de 5,1% e nos últimos doze meses, crescimento de 5%.

Das oito atividades consideradas pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), seis apresentaram taxa negativa, com destaque para a queda de 16% de outros artigos de uso pessoal e doméstico — que incluem grandes lojas de departamento.

O instituo ressalta que esse grupo teve resiliência durante a pior fase do isolamento social, por conta das estratégias de vendas pela internet e de promoções. Esse movimento fez o consumidor antecipasse suas compras, sobretudo para julho, quando as vendas do grupo saltaram 19% na comparação mensal.

“Esse recuo, contudo, não é suficiente para retirar os ganhos dos quatro meses anteriores”, explica o gerente da PMC, Cristiano Santos.

Entre as quedas do índice geral, o IBGE também destaca os setores de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-4,7%), combustíveis e lubrificantes (-2,4%), móveis e eletrodomésticos (-1,3%), livros, jornais, revistas e papelaria (-1,0%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,9%).

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT