Vereador preso em flagrante furtando laranjas pede desculpas em post: ‘não sou bandido’

Gilson do Ari (PL) e outro homem de identidade não divulgada foram presos em flagrante na terça, em Rincão, e respondem em liberdade. Câmara Municipal acompanha o caso.

O vereador de Motuca (SP) Gilson do Ari (PL) fez uma publicação no Facebook pedindo desculpas à população e aos pais e dizendo que não é bandido, após ser preso enquanto furtava laranjas de uma fazenda em Rincão, na terça-feira (26). “A vergonha é minha e de meus pais, que não mereciam um desgosto tão imenso, que não tem explicação (…) não sou nenhum bandido ou marginal”, escreveu o parlamentar.

Nossa reportagem tentou contato com o vereador para comentar o caso, mas ele não autorizou a Câmara Municipal que acompanha o caso, a passar seu telefone pessoal e orientou que fosse enviado os questionamentos por e-mail, mas ele não respondeu até a publicação desta reportagem.

Pedido de desculpas

clique na imagem e saiba mais

No texto publicado nas redes sociais (confira o texto na íntegra abaixo), o parlamentar diz que as pessoas que o criticaram “não pensaram em seu lado humano e que, se ele fosse uma pessoa normal, os comentários não teriam graça”. A publicação feita pelo vereador teve pouco mais de 150 curtidas e 100 comentários, todos com mensagens de apoio.

140 quilos de laranja

Na noite da terça-feira (26), funcionários da fazenda Santo Antônio, produtora de laranja para a empresa Cutrale, acionaram a Polícia Militar depois que avistaram três homens na propriedade.

Um dos indivíduos fugiu pela vegetação e os outros dois foram detidos. Dentro do carro que eles estavam, foram encontrados três sacos de laranjas que pesaram, aproximadamente, 140 quilos.

Os criminosos foram levados para a delegacia de plantão de Araraquara, onde foram presos em flagrante por furto qualificado e encaminhados para a cadeia pública de Santa Ernestina. Na quarta-feira (27), após audiência de custódia, os homens foram liberados.

Câmara acompanha o caso

Na quarta-feira (27), por telefone, o presidente da Câmara de Motuca, Antônio Paulo Ferreira Costa (PT), explicou que está acompanhando o fato e ressaltou que “até que se prove o contrário, todos são inocentes“.

Disse ainda que, se for o caso de representação contra o vereador, poderá ser aberto um processo de quebra de decoro parlamentar e que será garantida ampla defesa do vereador em questão. (Com informações do G1 São Carlos e Araraquara)

ÁGIL DPVAT