Veterinário explica sobre os cuidados com animais de estimação durante o frio

Segundo o especialista Guilherme de Campos Wernek, de Itapeva (SP), a exposição dos animais a temperaturas muito baixas pode causar agravamento de doenças respiratórias e de articulação.

Com a queda brusca na temperatura em toda a região de Itapetininga (SP) nas últimas semanas, o alerta e a preocupação com os animais de estimação aumentou. Os tutores precisam se atentar aos cuidados com os pets nos dias mais gelados.

De acordo com o veterinário Guilherme de Campos Wernek, de Itapeva (SP), a preocupação deve ser maior com filhotes e animais mais velhos, que têm maior dificuldade de controlar a temperatura corporal. No entanto, cães e gatos de todas as idades precisam estar bem aquecidos.

“A exposição dos animais às temperaturas muito baixas pode causar o agravamento de doenças respiratórias e de articulação. Cães e gatos que dormem na área externa da casa podem ter hipotermia”, explica o especialista.

Confira os principais cuidados:

  • Preparar o ambiente em que o animal está com cama, cobertor e uma roupa para aquecê-lo, se necessário;
  • Os banhos precisam ser com água morna e em locais sem corrente de ar, para preservar a saúde respiratória dos bichinhos;
  • Procurar o veterinário de confiança caso os animais tenham crises de problemas articulares agravadas por causa do frio;
  • Fazer tosa higiênica, mas não tosar a pelagem dos animais no frio. Os pelos são uma proteção natural para os pets;
  • Cães e gatos mais velhos ou filhotes precisam ficar mais quentes no inverno, por isso o cuidado deve ser redobrado nessa época;
  • Passeios devem ser feitos em horários mais quentes durante o inverno, de preferência durante a tarde, de manhã ou qualquer outro horário, desde que esteja sol.
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT