WhatsApp baniu mais de mil contas por disparos em massa durante período eleitoral

Disparo em massa é proibido e, segundo tribunal, foram recebidas mais de 4 mil denúncias. Aplicativo de mensagens tem parceria com TSE para tentar combater disseminação de fake news.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou uma nota nesta quinta-feira (19) na qual informou que o aplicativo de mensagens WhatsApp baniu 1.004 contas após denúncias de disparos em massa entre 27 de setembro e 15 de novembro.

O período informado pelo tribunal compreende o início da propaganda eleitoral e o primeiro turno das eleições municipais. O disparo de mensagens em massa é proibido e passível de punição no âmbito eleitoral porque a Justiça entende que tem potencial de afetar o equilíbrio da disputa entre os candidatos.

Plataforma de denúncias

As contas banidas foram denunciadas na plataforma mantida pelo TSE e pelo WhatsApp, criada para tentar combater a disseminação de conteúdo falso, as chamadas fake news. O TSE também tem acordos com outras empresas de redes sociais.

clique na imagem e saiba mais

Ao todo, o TSE informou ter recebido por este canal 4.759 denúncias. Além disso, o tribunal informou: 4.630 denúncias foram enviadas para análise do WhatsApp; 3.236 denúncias foram efetivamente analisadas; 1.004 contas foram banidas após análise; 129 denúncias foram descartadas por não terem relação com as eleições.