Com reajuste do diesel, alimentos devem ter aumento de até 8%

Informação é da Associação Brasileira de Supermercados.

O vice-presidente institucional da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Marcio Milan, afirmou que os produtos hortifrutigranjeiros (ou perecíveis) devem ter reajuste de preços entre cinco por cento e oito por cento já em setembro. A alta é devida à subida de preços do diesel, que representa cerca de 50% dos custos operacionais dos produtores desse setor.

Milan explicou que outras categorias de produtos também devem ter aumentos ligados ao custo do diesel, mas que isso depende dos estoques de cada segmento e que em cadeias produtivas mais longas, como a industrial, a alta tende a ser mais lenta e não tão imediata.

De todo modo, a indicação é de que o aumento de 16,2% na gasolina e de 25,8% no diesel em agosto pode ter influência na cesta dos produtos que haviam chegado ao menor patamar de preço em 17 meses. A cesta Abrasmercado, que reúne 35 produtos de larga escala, teve preço de R$ 741,23 em agosto de 2023. O valor teve queda de 1,51% em julho ante junho deste ano.

Artigos Relacionados

Preços de refeições em restaurantes sobem 40,84%, mostra Procon-SP

Aumento da refeição self-service por quilo foi registrado de janeiro de 2020 a fevereiro de...

Pesquisa indica que 68% da população paulista faz compras online

Compras abrangem apenas 31% de quem ganha até um salário mínimo e 87% com renda...

Pequenas empresas geram 80% dos empregos formais no país, diz Sebrae

Setor abriu mais de 1,1 milhão de postos de trabalho no Brasil em 2023, quando...

Últimas Notícias