Jovem de 25 anos tem vídeo íntimo vazado na internet após chamada com "gostosinha" em Araras, SP

Ele não gravou e nem autorizou a gravação do vídeo.

Um rapaz de 25 anos, residente em Araras (SP), está passando por momentos difíceis após se deparar com um vídeo íntimo seu em um site de conteúdo adulto. De acordo com seu relato, a situação começou após assistir vídeos no TikTok, onde uma mulher de nome “gostosinha” oferecia pacotes de fotos e vídeos explícitos, além de realizar chamadas de vídeo por um valor acessível.

Impulsionado pela curiosidade e pela carência, o jovem entrou em contato com a mulher através do link do WhatsApp disponibilizado em seu perfil. Após fazer o pagamento via PIX, ocorreu uma chamada de vídeo, e ele foi deixado por uma performance sugestiva, que durou cerca de 10 minutos.

No entanto, o constrangimento tomou conta do rapaz quando um de seus amigos encontrou um vídeo em um site de conteúdo adulto, onde uma pessoa muito próxima com ele protagonizava uma cena íntima. Para sua surpresa, ele ouviu que era realmente ele no vídeo, apesar de nunca ter gravado ou autorizado a gravação dessas imagens.

Pornografia de vingança

É importante ressaltar que o compartilhamento e divulgação de material íntimo sem o consentimento da pessoa envolvida são práticas ilegais e configuram um crime conhecido como “pornografia de vingança”. Essa situação pode causar graves consequências para as vítimas, incluindo danos emocionais, psicológicos e até mesmo profissionais, além de constituir uma violação da privacidade e dos direitos individuais.

Diante desse cenário, é essencial que o jovem procure orientação legal para tomar as providências em relação ao ocorrido, incluindo a denúncia do conteúdo não autorizado ao site em questão e às autoridades competentes. Além disso, ele pode buscar suporte emocional com profissionais ou grupos de apoio especializados em situações como essa.

Por fim, esse caso serve de alerta para que as pessoas tenham cautela e se conscientizem dos riscos envolvidos ao interagirem com desconhecidos online, principalmente em situações envolvendo conteúdo íntimo. É fundamental promover uma cultura de respeito à privacidade e ao consentimento, tanto nas relações virtuais quanto nas relações pessoais do dia a dia.

E agora o que é que eu faço?

De acordo com o advogado Leandro Cerbi, da advocacia Santa Rosa e Cerbi, se você teve um vídeo íntimo ou qualquer outro conteúdo privado vazado sem o seu consentimento, você pode ter motivos para tomar medidas legais contra a pessoa ou pessoas responsáveis ​​pela distribuição não autorizada.

Segundo ele, esse não é o primeiro caso desse tipo na cidade e nem será o último. Em muitas jurisdições, o compartilhamento não consensual de conteúdo íntimo é comumente referido como “pornografia de vingança” ou “abuso baseado em imagem”.

Aqui estão algumas etapas que você pode considerar se se encontrar nessa situação:

  1. Preservar evidências: certifique-se de fazer capturas de tela ou reunir qualquer evidência relacionada à distribuição não autorizada do vídeo. Esta evidência pode ser crucial para apoiar o seu caso.

  2. Entre em contato com a aplicação da lei: Relate o incidente às autoridades locais de aplicação da lei. Muitos lugares têm leis contra pornografia de vingança ou abuso baseado em imagens, e é essencial envolver a aplicação da lei nesses casos.

  3. Consulte um advogado: Procure aconselhamento jurídico de um advogado qualificado especializado em privacidade ou lei da Internet. Eles podem orientá-lo no processo legal e ajudá-lo a entender seus direitos e opções.

  4. Envie solicitações de remoção: se o vídeo for postado em sites ou plataformas de mídia social, você poderá solicitar a remoção do conteúdo por meio de seus mecanismos de denúncia. Muitas plataformas têm políticas contra pornografia de vingança e podem remover o conteúdo assim que receberem uma solicitação válida.

  5. Entrar com uma ação civil: seu advogado pode ajudá-lo a explorar a possibilidade de entrar com uma ação civil contra o responsável pelo vazamento do vídeo. Esta ação legal pode buscar indenização por sofrimento emocional, invasão de privacidade ou outras reivindicações aplicáveis.

  6. Proteja sua presença online: tenha cuidado ao compartilhar informações pessoais online e considere ajustar suas configurações de privacidade nas mídias sociais para minimizar o risco de outras violações de privacidade.

Observe que as leis relacionadas a pornografia de vingança ou abuso baseado em imagens variam de país para país e de estado para estado, por isso é crucial consultar um profissional jurídico que esteja familiarizado com as leis específicas de sua jurisdição. Eles podem fornecer aconselhamento personalizado e orientá-lo no processo de busca de justiça pela violação de sua privacidade.

Receba direto no celular as notícias mais recentes publicadas pelo site Repórter Beto Ribeiro. É de graça. Clique aqui e participe do grupo oficial Repórter Beto Ribeiro e fique por dentro de todas as atualizações.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Artigos Relacionados

PM de folga atira em assaltante que roubou bolsa de mulher

Homem foi baleado no cotovelo direito, preso em flagrante e levado ao hospital em São...

OAB alerta para golpe em que criminosos se passam por advogados em processos de indenização

Orientação veio após um cliente de um escritório de advocacia de Bauru (SP) receber uma...

Colisão entre caminhões provoca congestionamento na Rodovia Anhanguera em Limeira, SP

Trecho de aproximadamente 2 km registrou lentidão. Um dos veículos atingidos transportava carga de bananas.Uma...

Últimas Notícias