PONTO DE VISTA: Cantor sertanejo suspeito de assassinar dentista é preso em Ribeirão Preto, SP

Esse foi o tema do programa que contou com os convidados: advogado Rogério Romanin, empresário Murilo Coghi e do contador João Brandão.

O cantor sertanejo João Vitor Malachias suspeito do assassinato da dentista Bruna Angleri, de 40 anos, em Araras (SP), foi preso na noite deste domingo (8), em Ribeirão Preto (SP).

Bruna foi violentamente agredida e teve o corpo parcialmente carbonizado, dentro da sua casa, em um condomínio de alto padrão.

O delegado Tabajara Tabajara Zuliani dos Santos, seguiu para Ribeirão Preto para dar andamento à prisão. Malachias tinha um mandado de prisão temporária expedido desde sexta-feira (6).

De acordo com o delegado, embora o cantor tivesse dito em uma rede social que iria se entregar, ele foi preso por policiais.

Perseguição policial

A Polícia Militar tentou prender Malachias , na noite de sexta-feira (6), Houve perseguição pela rodovia Anhanguera (SP-310), mas ele fugiu por um canavial na altura de Cravinhos.

O delegado Tabajara, responsável pela investigação, havia pedido, na sexta-feira (6), a prisão temporária de 30 dias, podendo ser prorrogada por mais 30 dias. Ainda não se sabe para onde ele será levado, devido à comoção que o crime causou em Araras.

Cantor disse que ia se entregar

Após ser perseguido pela Polícia Militar na rodovia Anhanguera (SP-330), abandonar o carro e fugir por um canavial em Cravinhos, o cantor sertanejo publicou uma nota em uma rede social, dizendo que fugiu porque ficou desesperado e que se houver um pedido de prisão contra ele, iria se entregar (veja abaixo a nota na íntegra).

“Pessoal, a todos que estão me enviando mensagens e por toda repercussão, decidi fazer essa nota.
Desde o dia que prestei depoimento venho sendo ameaçado de diversas formas.
Não podia mais sair na rua ou ficar na minha casa, pois até minha família estava correndo risco de vida.
Conforme todos sabem, o processo está em segredo de justiça e até a noite não tinha qualquer decisão judicial que impedisse minha saída da cidade de Araras.
Então, tinha decidido passar alguns dias fora e caso mudasse algo no processo eu retornaria. tanto é, que levei as minhas coisas, algumas roupas, meu violão para tentar trabalhar, fui pela pista, passei pelos pedágios, pois não estava fazendo nada errado.
Fiquei sabendo do pedido de prisão através das redes sociais, já que nem meu advogado tem acesso a isso.
Quando vi a polícia dando sinal fiquei desesperado, com medo e sai correndo, pois os posts, os comentários e as mensagens eram mtas.
Então, se realmente existir um pedido de prisão, vou me entregar e continuarei ajudando em tudo para solucionar esse caso”.

Mais tarde, ele apagou a nota e várias postagens das suas redes sociais.

O crime

Segundo a Polícia Militar, a mãe da dentista estranhou que a filha não dava notícias e foi até a casa dela, encontrando-a morta sobre a cama do quarto. O corpo estava parcialmente carbonizado.

Segundo o delegado Tabajara, Bruna havia sido foi severamente agredida. “O rosto estava completamente deformado por fraturas. Tinha uma costela fraturada”, afirmou.

A polícia aguarda o resultado de um exame necroscópico para saber se ela estava viva quando foi queimada.

Artigos Relacionados

Prefeito Pedrinho Eliseu tem um importante recado para os aposentados e pensionistas da Araprev

Em seu gabinete na Casa da Memória de Araras, Pedrinho anuncia novas intermediações para resolver...

Vereador Rodrigo Soares denuncia falta de iluminação do Calçadão de Araras, SP

De acordo com o parlamentar, esta situação precária coloca em risco a segurança de pedestres...

Secretaria Municipal de Educação promove “Grupo de Estudos” a gestores da Rede em Araras, SP

O intuito do projeto é discutir temas pertinentes ao cotidiano das escolas municipais.A Secretaria Municipal...

Últimas Notícias