Estudante com boas notas pode ter colação de grau antecipada

Com esse entendimento, a juíza Ingrid Aragão Freitas Porto, da Vara Federal Cível e Criminal da SSJ de São João Del Rei (MG), decidiu que uma universidade deve adiantar a colação de grau de um aluno do curso de Medicina.

Os alunos que têm um aproveitamento extraordinário nos estudos, demonstrado por meio de provas e outros instrumentos de avaliação específicos, podem ter a duração dos seus cursos de graduação abreviada.

Com esse entendimento, a juíza Ingrid Aragão Freitas Porto, da Vara Federal Cível e Criminal da SSJ de São João Del Rei (MG), decidiu que uma universidade deve adiantar a colação de grau de um aluno do curso de Medicina.

O universitário do 12º período do curso, aprovado em processo seletivo como oftalmologista e com proposta para atuar como médico generalista, precisa colar grau antecipadamente para aceitar o convite.

Consta na ação que o estudante cumpriu 6.924 horas da grade curricular do curso, que totaliza 7.258 horas (ou seja, mais de 95% da carga horária total), e possui coeficiente de rendimento superior a 90%. Isso corresponde aos requisitos previstos no artigo 47, parágrafo 2º, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação e na Resolução/UFSJ 011, de 25 de maio de 2022.

Apesar disso, o requerimento feito à faculdade foi negado com a alegação de que somente seria feita a colação de grau após a publicação do relatório de regularidade do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade).

No entanto, a juíza Ingrid Porto pontuou que, embora o Enade sirva para avaliação da qualidade do ensino no país, não atua no âmbito individual como instrumento de qualificação ou de soma de conhecimentos ao estudante.

“Nesse contexto, e considerando a excepcionalidade da situação dada pela iminente matrícula em curso de especialização, entendo que é desarrazoado não assegurar a colação de grau pretendida, com a emissão de certificado de conclusão de curso, em razão da restrição relacionada ao Enade”, disse a juíza.

Assim, ela deferiu o pedido de liminar do autor e pediu que a faculdade promova com a maior brevidade possível a colação de grau. O estudante foi representado pelo advogado Kairo Souza Rodrigues.

Clique aqui para ler a decisão
Processo 1005366-92.2023.4.06.3815

Artigos Relacionados

Férias vencidas: saiba o que diz a legislação trabalhista

O site Repórter Beto Ribeiro foi consultou o advogado Willian Cassiano, especialista em direito trabalhista...

Internet caiu? TV a cabo fora do ar? Conheça seus direitos

Entre os direitos do consumidor, quando há interrupção de serviços, por qualquer motivo, provocado pela...

Arteris Intervias espera movimentação de mais de 673 mil veículos no Feriado de Corpus Christi

Concessionária realiza operação especial por conta do aumento de fluxo no último feriado prolongado do...

Últimas Notícias