Motorista que causou acidente e matou casal na SP-191 disse à polícia que tomou ‘3 ou 4 cervejinhas’

Vítimas pegavam água em uma bica, no acostamento, quando foram atingidas pelo carro. Homem foi preso em flagrante por homicídio culposo na direção de veículo.

O motorista de 58 anos que causou o acidente que matou o casal Irene e Marcelo Santos, no domingo (3), admitiu à Polícia Militar Rodoviária, durante interrogatório, que tomou “3 ou 4 cervejinhas” no horário do almoço e que depois dormiu por uma hora, antes de pegar o carro e seguir pela Rodovia Wilson Finardi (SP-191). A informação consta no boletim de ocorrência.

O acidente aconteceu por volta das 17h, no km 073-200 da pista Oeste, sentido Araras / Rio Claro. As vítimas estavam pegando água em uma bica, no acostamento da rodovia, quando foram atingidas por um carro modelo Polo.

De acordo com a polícia, enquanto aguardava para ser ouvido, o motorista estava sonolento e cochilando, “indicando estar com sua capacidade psicomotora alterada”.

O motorista foi submetido ao teste do etilômetro que apontou 0,54 mg de álcool por litro de ar alveolar. Segundo a Polícia Rodoviária, a tolerância é de 0 álcool para dirigir, porém existe a consideração de margem do equipamento de até 0,04mg de álcool por litro de ar.

Depois disso o motorista é penalizado nos seguintes itens do Código de Trânsito Brasileiro (CTB):

  • De 0,04 até 0,33 é considerado infração gravíssima: multa de R$ 2.934,70 e suspensão do direito de dirigir por 1 ano;
  • De 0,34 para cima: além da multa no valor de R$ 2.934,70, existe o crime de trânsito que é uma infração penal, que coloca em risco a vida do motorista e das demais pessoas numa via pública.

Ainda de acordo com o B.O., o homem disse que ia com sua namorada para o distrito de Batovi. Ele alegou que dirigia a 70km/h e perdeu o controle do veículo porque o carro da frente fez uma manobra como se fosse sair da pista, mas não saiu.

Apesar de o motorista dizer que estava a 70km/h, a marca de frenagem constatada no local atingiu quase 100 metros, o que, segundo a Polícia Rodoviária, indica a velocidade muito superior a 70km/h.

O crime foi registrado como homicídio culposo na direção de veículo automotor (um ato sem intenção, mas com irresponsabilidade), com a qualificadora de dirigir sob a influência e álcool.

Artigos Relacionados

OPERAÇÃO ADAGA VII: Procurado por tráfico de drogas é capturado pela Polícia Militar em Araras, SP

Durante atendimento de averiguação de desinteligência familiar onde o causador da confusão já não estava...

PM de folga atira em assaltante que roubou bolsa de mulher

Homem foi baleado no cotovelo direito, preso em flagrante e levado ao hospital em São...

OAB alerta para golpe em que criminosos se passam por advogados em processos de indenização

Orientação veio após um cliente de um escritório de advocacia de Bauru (SP) receber uma...

Últimas Notícias