MST chama ação terrorista do Hamas de ‘brava resistência’

A facção islâmica invadiu Israel no fim de semana, lançando milhares de foguetes contra o país, invadindo comunidades, matando centenas de civis e levando reféns, que estão sendo ameaçados de execução pública.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) emitiu uma nota declarando apoio “total e irrestrito” aos palestinos e defendendo as ações do grupo terrorista Hamas. No texto, o MST afirma que a “resistência palestina reagiu de maneira legítima às agressões e à política de extermínio que Israel implementa na região há mais de 75 anos”.

O comunicado ocorre após o ministro da Defesa israelense, Yoav Gallant, anunciar bloqueio total na Faixa de Gaza, com corte de eletricidade, água, alimento e combustível, em resposta ao ataque terrorista do Hamas em território israelense no último sábado (7).

A facção islâmica invadiu Israel no fim de semana, lançando milhares de foguetes contra o país, invadindo comunidades, matando centenas de civis e levando reféns, que estão sendo ameaçados de execução pública.

O MST, por sua vez, defende que o cerco em Gaza se assemelha a um “campo de concentração” ou uma “prisão a céu aberto”, e não chegou a se solidarizar com as vítimas israelenses.

Confira o texto completo:

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) do Brasil mais uma vez reitera nosso apoio total e irrestrito à luta do povo Palestino pela sua autodeterminação e contra a política de apartheid implementada por Israel.

A Resistência Palestina, desde Gaza, reagiu, de maneira legítima, às agressões e à política de extermínio que Israel implementa na região há mais de 75 anos.

Gaza foi transformada pelo governo sionista de Israel em uma prisão a céu aberto! Um campo de concentração isolado do resto do mundo, permanentemente atacado e bombardeado pelo exército de Israel.

Um território de 365 km² onde vivem mais de 2 milhões de palestinas e palestinos que foram expulsos de suas casas e suas terras pelo exército e por colonos de Israel. Um dos territórios mais densamente povoados do mundo, em que as pessoas não tem a liberdade de ir e vir; são privados de comida, água, medicamentos, energia, assistência médica, entre outros direitos.

À brava Resistência Palestina em Gaza: seguiremos apoiando e defendendo o direito legitimo dos povos a reagir contra a opressão!

Ao povo de Gaza: vocês são um exemplo de resiliência para todos e todas que lutam por um mundo mais justo, onde os povos tenham o direto de definir seus próprios destinos, sem intervenções e colonizações.

Ao povo Palestino em qualquer lugar do mundo: vocês têm no Movimento Sem Terra irmãos e camaradas de luta! Não descansaremos enquanto não conquistarmos uma Palestina livre, com capital em Jerusalém e com o legitimo direito ao retorno de todos os refugiados expulsos de suas casas, terras e aldeias!

Seguiremos de mãos dadas com o povo palestino, rompendo todas as cercas e muros que nos privam de viver e amar!

Artigos Relacionados

Advogada explica como doar imóveis para o filho (a) sem a participação do cônjuge

Francielli Palma Maciel, que atua também no Direito de Família e Sucessões, diz quais medidas...

Arteris Intervias vai recapear 100% do pavimento da Rodovia Anhanguera

Nova fase da obra começa quarta-feira (19) e vai acontecer nos 82 km administrados pela...

Saiba como funciona o aviso prévio para quem é demitido e para quem pede demissão

Segundo o advogado Willian Cassiano, a empresa deve pagar o aviso prévio quando demite o...

Últimas Notícias